sábado, 25 de outubro de 2014

Especial Fernanda Montenegro



Por João Trettel



Fernanda começou sua carreira aos 15 anos, como redatora, locutora e radioatriz da Rádio MEC. Seu primeiro trabalho no teatro foi aos oito anos, em uma peça na igreja de seu bairro. Sua estreia profissional aconteceu em dezembro de 1950, na peça 3.200 Metros de Altitude, ao lado de Fernando Torres que, além de companheiro de profissão, se tornou seu marido.
Na Tupi, a atriz participou de cerca de 80 peças, exibidas nos programas Retrospectiva do Teatro Universal e Retrospectiva do Teatro Brasileiro, no decorrer de dois anos.

Em 1954, Fernanda se mudou para São Paulo, com Fernando Torres, e lá o casal formou sua própria companhia, o Teatro dos Sete, com Sergio Britto, Ítalo Rossi, Gianni Ratto, Luciana Petruccelli e Alfredo Souto de Almeida. A estreia do grupo aconteceu em dezembro de 1959, com a peça O Mambembe, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

De volta ao Rio, a atriz retornou para a Tupi e atuou em mais de 160 peças do Grande Teatro Tupi, de 1956 a 1965. Foi na TV Rio que fez sua estreia nas novelas, em 1963, em Pouco Amor Não é Amor. Em 1965, participou do programa 4 no Teatro (1965), na recém criada TV Globo. No ano seguinte atuou na novela Calúnia, na Tupi.

Em 1967 fez sua estreia na TV Excelsior, na novela Redenção. A trama teve 596 capítulos e se tornou um marco na história da televisão brasileira. A atriz ficou na Excelsior durante três anos e depois se afastou da televisão por nove anos. Durante esses anos atuou em apenas dois trabalhos: no teleteatro A Cotovia (1971), da Tupi, e num Caso Especial da TV Globo, Medéia (1973). Sua volta à TV foi em Cara a Cara (1979), na TV Bandeirantes.

Fernanda estreou nas novelas da Globo em Baila Comigo (1981), de Manoel Carlos. No mesmo ano trabalhou em Brilhante, de Gilberto Braga.
Um de seus maiores sucessos na televisão foi sua participação na primeira versão de Guerra dos Sexos (1983). A atriz protagonizou cenas hilariantes e inesquecíveis ao lado de Paulo Autran, como os primos Charlô e Otávio. Pela novela, Fernanda ganhou o prêmio de Melhor Atriz da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

Estreou no cinema com A Falecida, que lhe deu o prêmio de Melhor Atriz na I Semana do Cinema Brasileiro (Festival de Brasília). Com o longa Central do Brasil (1999), Fernanda foi a primeira brasileira indicada ao Oscar, além de receber o Urso de Prata do Festival de Berlim, entre outros prêmios.
Em 1999, Fernanda Montenegro foi condecorada pela Presidência da República com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito, em reconhecimento de seus trabalhos nas artes cênicas brasileiras. Na época foi realizada uma exposição no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro, comemorando os 50 anos de carreira da atriz.

Em 2013, depois de três anos afastada das novelas, Fernanda voltou ao ar no remake de Saramandaia. A última trama que a atriz tinha participado foi Passione, em 2010. 

0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.